• ABC e Benfica disputam final da Taça Challenge

    Sorteio da final portuguesa da Taça Challenge

  • 13102637_10208110045685714_2773987525374803580_n

    CERS não sai de Portugal

  • ABC de Braga  frente ao Dukla de Praga

    Final portuguesa: ABC vence em Praga e faz final com Benfica

  • valter-neves

    Benfica confirma avanço de oito pontos

Melhores Marcadores

  • 1
    Pedro Cruz - Águas Santas / Milaneza
    192
  • 2
    Pedro Sequeira - Passos Manuel
    140
  • 3
    Pedro Portela - Sporting
    137
  • 4
    Belone Moreira - Passos Manuel
    130
  • 5
    Yuriy Kostetsky - SC Horta
    117
  • 6
    Nuno Silva - Madeira SAD
    115
  • 7
    Pedro Solha - Sporting
    114
  • 1
    Nandinho - Boavista
    33
  • 2
    Vigário - Unidos Pinheirense
    30
  • 3
    Jander - SL Olivais
    28
  • 4
    Alessandro Patias - Benfica
    25
  • 5
    Márcio Moreira - Póvoa Futsal
    22
  • 6
    Fábio Cecílio - SC Braga
    22
  • 7
    Zé Marau - Unidos Pinheirense
    20
  • 1
    Luís Viana - Juventude Viana
    64
  • 2
    João Rodrigues - Benfica
    48
  • 3
    Gonçalo Alves - Oliveirense
    42
  • 4
    Nuno Araújo - Valongo
    40
  • 5
    Francisco Barreira - Sanjoanense
    38
  • 6
    Carlos Nicolia - Benfica
    35
  • 7
    Vítor Hugo Pinto - FCP / Império Bonança
    31

Resultados da Jornada

  • Santo Tirso
    29
  • 30
    Águas Santas / Milaneza
  • Sporting
    27
  • 20
    Xico Andebol
  • Benfica
    29
  • 27
    FC Porto
  • Belenenses / Delta
    26
  • 25
    Maia / ISMAI
  • SC Horta
    44
  • 34
    ABC / UMinho
  • Passos Manuel
    31
  • 25
    Madeira SAD
  • Benfica
    8
  • 1
    Rio Ave
  • Cascais
    5
  • 6
    Leões PS
  • Póvoa Futsal
    2
  • 5
    Boavista
  • Modicus
    5
  • 1
    Burinhosa
  • Unidos Pinheirense
    5
  • 1
    Belenenses
  • SC Braga
    4
  • 1
    SL Olivais
  • Fundão
    4
  • 4
    Sporting
  • Candelária
    4
  • 2
    Paço de Arcos
  • Oliveirense
    5
  • 3
    OC Barcelos
  • Carvalhos
    3
  • 2
    HC Turquel
  • Sanjoanense
    6
  • 3
    CD Póvoa
  • Juventude Viana
    3
  • 3
    Sporting
  • Benfica
    11
  • 3
    Tigres Almeirim
  • FCP / Império Bonança
    6
  • 6
    Valongo

Entrevistas

Notícias

    • Sorteio da final portuguesa da Taça Challenge

      ABC e Benfica disputam final da Taça Challenge
      2 Maio, 2016

      Foi na manhã desta segunda-feira, que ficou decidido o alinhamento da grande final da Taça Challenge, que vai opor Benfica e ABC de Braga. Em Viena, na sede da EHF e com a presença do presidente da Federação de Andebol de Portugal, Ulisses Pereira, decorreu o último sorteio da época, para a Challenge.

      Clique aqui para um bónus de 200 euros com a 10 Bet!

      O sorteio ditou, então, que o primeiro encontro da meia-final será disputado no pavilhão da Luz, com o Benfica a receber o ABC de Braga no fim-de-semana de 14 e 15 de Maio. A segunda-mão fica, assim, reservada para o pavilhão Flávio Sá Leite, em Braga, no fim-de-semana de 21 e 22 de Maio.

      Frente a frente, estarão duas equipas portuguesas, que nunca venceram uma competição europeia. Aliás, é do Sporting a única vitória portuguesa, em 2009, precisamente a Taça Challenge, uma exclusividade que perderá, neste mês de Maio. O ABC é a equipa portuguesa com mais finais europeias. Depois de perder a final da Liga dos Campeões, em 1994, a equipa bracarense já perdeu, por duas vezes, a final desta Taça Challenge. Em 2005, frente ao Wacker Thun, da Suíça, e em 2015 frente ao Odorhei, da Roménia. Curiosamente, na presente caminhada até à quarta final europeia da história, o ABC eliminou o Wacker Thun e o Odorhei. Segue-se o Benfica, na final, equipa que também saiu derrotada da única final em que marcou presença. Foi em 2011, frente ao RK Cimos Koper, da Eslovénia.

    • CERS não sai de Portugal

      13102637_10208110045685714_2773987525374803580_n
      2 Maio, 2016

      Ao Minho chegou, no Minho ficou. O Óquei de Barcelos conquistou a Taça CERS pela segunda vez na sua história, ao derrotar o Vilafranca da Catalunha na final, por 6-3, no Pavilhão Municipal de Barcelos. Os pupilos de Paulo Freitas sucedem assim ao Sporting que era o detentor do título mas que não foi além das meias-finais em 2016, caindo precisamente perante os catalães, nas grandes penalidades.

      Este domingo, o Municipal de Barcelos esteve a abarrotar pelas costuras para presenciar uma final que ficou definida logo nos primeiros 25 minutos, onde o Óquei alcançou uma interessante vantagem de três tentos (5-2). Na verdade, foi um primeiro tempo de loucos. Rocasalbas marcou para os forasteiros logo aos dois minutos, Hugo Costa empatou aos seis e no mesmo minuto, Joan Vázquez voltou a dar vantagem à formação catalã.

      A partir daqui surgiu a resposta barcelense que só parou nos 5-2. Luís Querido empatou de penálti (11′), Hugo Costa deu a primeira vantagem ao conjunto da casa (14′) e de novo Luís Querido dilatou para 4-2, de novo através de uma grande penalidade (20′). Ao minuto 21, Joca dá a machadada final com o 5-2, quando o Vilafranca se encontrava com menos um elemento em pista. Sabendo da coesão defensiva minhota, ficou evidente que dificilmente haveria recuperação do Vilafranca, e foi tal e qual o que aconteceu.

      No segundo tempo, o Barcelos limitou-se a alargar ao máximo os seus ataques, defender em bloco e não permitir contrapés contrários em superioridade numérica. O Vilafranca ainda reduziu por Rocasalbas de livre directo (5′) mas os minhotos mantiveram a postura, acabando por dissipar qualquer dúvida quanto ao vencedor com novo golo de Luís Querido, e de novo de bola parada (livre directo), a três minutos do final.

      A partir dos últimos dois minutos só houve espaço para a loucura no Municipal de Barcelos, com os adeptos em completo êxtase, sendo acompanhados pelos jogadores e equipa técnica após o apito final. Em declarações à RTP2, Luís Querido e Hugo Costa afirmaram que a conquista deste título em casa significa o concretizar de um sonho de criança que tinham quando alinhavam pelas camadas jovens do clube que à data batia-se pelos principais títulos nacionais e internacionais. O experiente hoquista Reinaldo Ventura – que curiosamente venceu apenas o seu segundo título europeu de clubes, tendo conquistado a Taça CERS pelo FC Porto em 95/96 – também não escondeu a satisfação, dizendo que este título e a sua inclusão no clube (está na sua primeira época em Barcelos) têm-lhe dado sensações fantásticas e que já não esperava viver nesta fase da carreira. Por fim, o técnico Paulo Freitas, lembrou as palavras proferidas aos jogadores antes do início do encontro: “as finais não se jogam, ganham-se”, avançou.

      Com a vitória na Taça CERS, o Óquei junta-se assim ao longo lote de equipas com dois troféus ganhos, a saber: Nóia, Réus (ambas da Catalunha), FC Porto, Sporting, Benfica e Vercelli de Itália. O Liceo de Espanha e Novara de Itália são os clubes mais ganhadores, com três taças CERS conquistadas.

    • Final portuguesa: ABC vence em Praga e faz final com Benfica

      ABC de Braga  frente ao Dukla de Praga
      1 Maio, 2016

      O ABC de Braga está na final da Taça Challenge, pelo segundo ano consecutivo. A final será integralmente portuguesa, com ABC e Benfica a marcarem presença na final. Além de garantida a vitória na competição europeia, para Portugal, garantia ainda da presença de cinco equipas portuguesas nas competições europeias, uma vez que ABC ou Benfica vão ceder a vaga na Taça Challenge, para o quinto classificado do campeonato, uma vez que os quatro primeiros já tinham o acesso garantido.

      Vitória por 29-33, em Praga, frente ao Dukla. após um primeiro encontro difícil, em Braga, com vitória por apenas um golo, o ABC conseguiu impor-se novamente, para garantir, a passagem à final.

      Clique aqui para um bónus de 200 euros com a 10 Bet!

      Para o ABC, será a segunda final da Taça Challenge consecutiva, a terceira da sua história. Nota ainda para uma final da Liga dos Campeões, com o dissabor de que o ABC terá, à quarta tentativa, a possibilidade de vencer uma competição europeia pela primeira vez. Até agora, são três derrotas, nas três finais. Para o Benfica, será a segunda final, sendo que também perdeu a primeira. Até à data, o Sporting, em 2009, é o único vencedor português na Europa, exclusividade que perderá ainda neste mês de Maio.

      Entrou muito bem o ABC de Braga, com Humberto Gomes, a fazer um par de excelentes defesas, e a mostrar que, esta tarde, não ia ser fácil batê-lo. No ataque, um rapidíssimo Carlos Martins dava o mote e, em contra-ataque, abria o marcador. ABC na frente, uma vantagem que Pedro Spínola aumentou, para 2-0, em apenas dois minutos de jogo. Tardava a responder o Dukla e nem da linha de sete metros, Humberto se deixava enganar. Aos cinco minutos, vencia o ABC, por 3-1, após um excelente início.

      No entanto, seguiu-se um péssimo momento do ABC, com alguns erros, e o Dukla, com um parcial de 5-0, fugia perigosamente no marcador (6-3). A equipa de Praga ainda liderou até ao 8-7, momento em que o ABC conseguiu uma excelente recuperação. Com um parcial de 6-0, concluído num bonito golo de Miguel Sarmento, o ABC liderava, aos 22 minutos, por 8-13 e os checos pareciam mais resignados, perante a melhor atuação da equipa bracarense.

      A chegar aos 30 minutos, Diogo Branquinho fazia o 11-16, devolvendo a vantagem de cinco golos, à saída para o intervalo.

      O segundo tempo abriu quase da mesma forma que o primeiro, com Carlos Martins a fazer o 11-17, na maior vantagem do encontro. O Dukla mostrou sempre acreditar na reviravolta, obrigando o ABC a exibir-se sempre ao melhor nível. Humberto Gomes continuava a brilhar na baliza, enquanto que no ataque, Pedro Spínola se mostrava um quebra-cabeças para a equipa adversária. O ABC foi sempre mantendo o Dukla à distância, conservando vantagens entre os quatro e os cinco golos.

      Aos 15 minutos do encontro, o ABC vencia por 21-26, após mais um golo de Spínola. No entanto, a equipa de Praga foi sempre respondendo e conseguiu mesmo reduzir a desvantagem nos últimos minutos. Carlos Resende tentou gerir o plantel, e fez entrar Emanuel Ribeiro, para a baliza, mas também André Gomes e Oleksandr Nekrushets, na primeira linha. À entrada para os dez minutos finais, a vantagem do ABC era de apenas três golos (24-27) e o público da casa não deixava a equipa desistir da eliminatória. Mas, o ABC conseguiu sempre manter a concentração e, à entrada para os cinco minutos finais, Pedro Spínola conseguiu mesmo aumentar para seis os golos de vantagem (25-31). No final, 29-33 num encontro muito bem conseguido pelo ABC.

    • Benfica confirma avanço de oito pontos

      valter-neves
      1 Maio, 2016

      No jogo em atraso da 20ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, o Benfica confirmou os oito pontos que tinha de vantagem em relação ao FC Porto, ficando apenas a duas vitórias do bi-campeonato. A formação de Pedro Nunes deslocou-se aos Açores e venceu a Candelária por 7-4.

      Os picarotos até começaram a ganhar mas ao intervalo os encarnados já venciam por 4-2, confirmando a vitória na etapa complementar, mesmo que o astro Nicolia.

    • …mal me quer para o Sporting

      Mundo Deportivo
      1 Maio, 2016

      Terminou o sonho leonino de revalidar a conquista da Taça CERS, depois de ter levantado o troféu em Igualada na época transacta, ao ganhar ao Réus nas grandes penalidades. E foi também nas grandes penalidades que a formação de Nuno Lopes saiu eliminada pelo Vilafranca, no pavilhão Municipal de Barcelos, na segunda meia-final.

      Num encontro muito interessante de se seguir dada a velocidade imprimida e a constante procura pelo golo, os leões marcaram primeiro por Luís Viana, mesmo ao cair do pano da primeira parte. A igualdade acabou por ser resposta num ápice, logo aos dois minutos da etapa complementar e também de grande penalidade, da autoria de outro especialista em bolas paradas, de nome Roger Rocasalbas.

      A abordagem ao jogo totalmente distinta destas duas formações em relação à primeira meia-final fez com que, apesar do empate, o encontro não perdesse interesse, bem pelo contrário. O Vilafranca acabou por ser a equipa mais perigosa, valendo ao Sporting o seu guardião, Ângelo Girão.

      Chegados às grandes penalidades, Losna até foi o primeiro a marcar, na terceira série. No entanto, Marc Navarro empatou na penalidade imediatamente a seguir, ficando a decisão para a última conversão, da autoria de Roger Rocasalbas, o tal especialista que voltou a não desperdiçar, fazendo o 3-2 final.

      O encontro que decidirá o sucessor do Sporting na conquista da Taça CERS, entre Barcelos e Vilafranca, terá lugar este domingo no Pavilhão Municipal de Barcelos, pelas 18.30 horas, com transmissão em directo na RTP2.

    • Bem me quer para o Barcelos

      13124430_677314085749697_3486469433484764615_n
      1 Maio, 2016

      A primeira sessão de grandes penalidades calhou bem ao hóquei português. O Óquei de Barcelos passou os italianos do Matera nas meias-finais da Taça CERS ao vencer por 5-4 na lotaria, depois do empate a três verificado ao fim dos 50 minutos regulamentares e também do prolongamento.

      Depois de uma verdadeira procissão rumo ao cemitério dos elefantes, em que nenhuma das equipas parecia querer jogar, a vantagem alcançada antes do descanso com dois tentos de Reinaldo Ventura idênticos (20′ e 25′), concretizando segundas bolas no interior da área, tornou a etapa complementar bem mais interessante, ainda que o ritmo não tenha aumentado significativamente.

      Juanjo López (5′) e Antezza (12′), com dois belos golos no miolo do meio-rinque ofensivo, fizeram o marcador voltar à estaca zero e o estilo de jogo que já estava pouco apelativo, voltou a descer ao nível do primeiro tempo. O Matera com poucas soluções de banco (jogou apenas com cinco elementos de rinque) e o Barcelos ao seu (incompreensível) estilo apático, de esperar que aconteça sem fazer para acontecer, voltou a conseguir vantagem no marcador com novo tento de Reinaldo Ventura (15′), de livre directo.

      Mas o Matera nem deixou os minhotos festejarem, já que no minuto seguinte Antezza voltou a empatar em mais um grande lance individual. Os golos voltaram nas grandes penalidades, com Reinaldo Ventura a fazer o 4-3, Cellura a empatar na penalidade seguinte e Vieirinha a fazer o tento decisivo. Antezza marcou a última penalidade mas sem sucesso, fazendo com que o Barcelos nem tivesse precisado da quinta série para festejar a passagem à final, onde encontrará os catalães do Vilafranca que derrotaram o Sporting, também nas grandes penalidades.

    • Guerreiros deixam fugir o terceiro lugar

      Foto: Ricardo Fernandes
      30 Abril, 2016

      O CCRD Burinhosa veio a Braga roubar o terceiro lugar ao SC Braga/AAUM, vencendo por 4-2.

      A primeira parte do encontro foi totalmente dominada pelos bracarenses que apenas pecaram na finalização. Nas oportunidades de golo criadas encontraram pela frente um superinspirado Welton ou então eram os postes a evitar o golo. O Burinhosa apenas conseguia uns tímidos contra-ataques. Depois de tantas situações de golo e de um acumular de faltas do seu adversário, o SC Braga/AAUM chegou ao golo no minuto dezanove por intermédio de Miguel Almeida, na transformação de um livre direto.

      A etapa completar começou ao ritmo da anterior com o SC Braga/AAUM em cima do adversário, em pressão alta que obrigava o Burinhosa a perder rapidamente a posse de bola. Esse domínio proporcionou a obtenção de mais um golo, Paulinho (28`) desviou à boca da baliza um grande passe de Tiago Brito e fez o 2-0. A partir daqui, o Burinhosa foi outra equipa: cresceu no jogo, reduziu o marcador por Nino (30`) e obrigou os bracarenses a recuar. Aproveitando uma certa desorientação bracarense, Espanhol (38`) fez o empate a 2-2, colocando tudo em aberto para os dois minutos finais. Com o terceiro lugar em disputa no jogo, nesta fase, ambos os treinadores apostaram num 5/4 para tentar vencer o jogo, mas o grande prémio sorriu a Kitó Ferreira que viu a sua equipa conseguir marcar mais dois golos, primeiro por Claudinho (39`) e no mesmo minuto por Nino, que bisou na partida, colocando o resultado em 2-4 para os forasteiros. Nos play-off, o SC Braga/AAUM vai defrontar a AD Fundão enquanto o CCRD Brurinhosa o Modicos de Sandim.

      No final do encontro, o técnico bracarense, Paulo Tavares, estava indignado com a dualidade de critérios da dupla de arbitragem: “foi gritante a atribuição  dos cartões e o assinalar de faltas. A arbitragem tem aqui o seu peso, mas nós perdemos por culpa própria”. Sobre o jogo, o técnico referiu que pecaram muito na finalização: “não podemos perder tantas oportunidades de golo, dominámos a primeira parte por completo, mais oito a dez minutos da segunda e merecíamos outro resultado”, finalizou.

      O técnico Buri Kitó Ferreira estava radiante com os seus jogadores pelo feito alcançado: “este terceiro lugar é como vencer o campeonato. Ficar atrás de Benfica e Sporting e à frente deste enorme Braga, somos uns campeões.” O técnico referiu também que num jogo destes ninguém merecia perder: “jogar aqui é muito difícil, mas os jogadores foram extraordinários, por isso, é justa a nossa vitória mas também é injusta a derrota do Braga.”

      FICHA DE JOGO

      Pavilhão Universidade do Minho

      26ª Jornada da Liga Sport Zone de Futsal

      SC Braga/AAUM 2 – 4 CCRD Burinhosa

      SC Braga/AAUM: Vitor Hugo; André Gomes; Nilson; Marinho e Tiago Brito

      Jogaram ainda: Paulinho; Miguel Almeida (C); André Coelho; Rafa e Douglas

      Suplentes não utilizados: Xot

      Treinador: Paulo Tavares

      CCRD Burinhosa: Welton; Espanhol; Tiago Moreira; Bruno Cintra e Nino

      Jogaram ainda: Claudinho; Russo e Pimpolho

      Suplentes não utilizados: Rui Castelhano; Buzuzu; Fábio Catarino e Tiago Costa

      Treinador: Kitó Ferreira

      Marcadores: 1-0 por Miguel Almeida (19`); 2-0 por Paulinho (28`); 2-1 por Nino (30`); 2-2 por Espanhol (38`); 2-3 por Claudinho (39`); 2-4 por Nino (39`)

      Ação Disciplinar

      Amarelos: Miguel Almeida (27`); André Coelho (27`); Vitor Hugo (30`); Paulinho (39`) (SC Braga/AAUM)

      Claudinho (15`); Espanhol (23`) e Pimpolho (34`) (CCRD Burinhosa)

      Árbitros: Cristiano Santos e Rúben Santos (AF Porto)

    • Benfica na final da Taça Challenge

      Benfica na final da Taça Challenge
      30 Abril, 2016

      O Benfica está na final da Taça Challenge. A equipa está a fazer uma excelente fase final de temporada e está na final da competição europeia, após afastar os noruegueses do FyllingenBergen, nestas meias finais. O Benfica levava uma excelente vantagem de Portugal, após a vitória, na primeira-mão, por 35-22. Mas, acabou por se impor, novamente, por 27-29.

      Clique aqui para um bónus de 200 euros com a 10 Bet!

      Na primeira parte, o Benfica até nem entrou muito bem e, após os primeiros cinco minutos, liderava o FyllingenBergen, por 3-0. Mas, demorou pouco a resposta do Benfica. Javier Borrágan iniciou a recuperação, Davide Carvalho empatou e João Pais, deu a priemira vantagem, aos dez minutos de encontro (3-4). Estava visto que a tarefa dos noruegueses não seria fácil. No entanto, a equipa da casa foi mais ameaçadora no primeiro tempo. E, aos 15 minutos, vencia por 9-6, uma vantagem de três golos que levaria para o intervalo (14-11).

      No entanto, o FyllingenBergen esteve sempre muito longe de pôr em causa a eliminatória e o Benfica pareceu sempre capaz de contestar os avanços do adversário. Nos primeiros dez minutos, a vantagem ainda pertenceu à equipa norueguesa mas, depois disso, Augusto Aranda mostrou-se muito certeiro e acabou por ajudar o Benfica a retomar a vantagem no marcador (17-18). Tiago Ferro acabou por dobrar a vantagem (19-21) e foi com uma equipa muito jovem que o Benfica terminou a partida, repetindo uma vitória, para carimbar a presença na final da Taça Challenge.

Free mockups